Jovem estava desaparecida desde o último domingo, um casal de adolescentes foi apreendido, eles são suspeitos de terem matado e esquartejado a adolescente

Drogaria São Francisco

O jovem de 17 anos que confessou ter esquartejado uma adolescente de 16 anos em Araraquara (SP) disse à Polícia Civil que desejava matar para ver como é. Ele e a namorada, que ajudou no transporte das partes do corpo, foram apreendidos na segunda-feira (10).

A estudante Yasmin da Silva Nery foi encontrada durante a tarde. Ela estava desaparecida desde a tarde de domingo (9). A polícia ainda procura por partes do corpo que foram jogadas na rede de esgoto. Equipes do Corpo de Bombeiros e do Departamento Autônomo de Água e Esgoto (Daae) auxiliam nas buscas nesta terça-feira (11).

A estudante Yasmin da Silva Nery, de 16 anos, foi encontrada morta em Araraquara — Foto: Reprodução/Facebook
A estudante Yasmin da Silva Nery, de 16 anos, foi encontrada morta em Araraquara — Foto: Reprodução/Facebook

Segundo o delegado Fernando Bravo, da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), familiares da estudante contaram que o último contato dela tinha sido com um adolescente. Ele foi encontrado e apresentado na presença do pai.

“Inicialmente ele estava muito nervoso, começou a apresentar versões contraditórias. Saímos com diligências e,chegando na casa onde ele mora com a mãe, ele já começou a nos dizer que realmente ia falar a verdade e acabou por confessar que tinha matado”, disse o delegado.

De acordo com Bravo, o adolescente contou que após o crime cortou o corpo da jovem e espalhou pela cidade. “Conseguimos encontrar uma parte do tronco e um pedaço da perna na casa dele. Cabeça e outros membros estavam em uma represa. E outras partes foram jogadas dentro de uma galeria de esgoto. Estamos trabalhando para recuperar essas partes”.

Ainda segundo o delegado o suspeito confessou que agiu sozinho. “Mas foi apurado depois que ele tinha uma namorada que o auxilou no transporte das partes do corpo e jogou na represa. Ela também foi apreendida e ambos serão apresentados aos Ministério Público nesta manhã”, disse Bravo.

Luta pela vida

Segundo o delegado, antes de matar a garota o suspeito pediu para ela fechar os olhos e imaginar onde ela estaria com ele mais para frente. Ela, apaixonada, atendeu. Foi então que ele deu um golpe por trás conhecido como ‘mata-leão’.

A jovem ainda tentou se defender ao ser estrangulada. Ela conseguiu tirar a faca do suspeito e golpeá-lo no punho, no joelho e na panturrilha.

Desaparecimento

O motorista Waldir Nery, pai da adolescente morta em Araraquara — Foto: Reprodução EPTV
O motorista Waldir Nery, pai da adolescente morta em Araraquara — Foto: Reprodução EPTV

O pai da adolescente, o motorista Waldir Nery, disse que já esperava pelo pior. Ela não ficava duas horas fora de casa, era escola-casa, escola-casa”, afirmou.

Segundo o pai da jovem, Yasmin era ótima filha e ótima aluna e havia ganhando uma bolsa integral este ano para estudar em uma escola particular de Araraquara. A escola suspendeu as atividades na terça-feira.

No domingo, ela saiu de casa dizendo que ia a um show com um amigo, mas a família descobriu que ela estava com um adolescente de 17 anos, suspeito do crime.

“Ela saiu de casa umas 16h30 e as 17h a mãe dela ligou e ela ainda atendeu. Ela disse que tinha ido com um colega que a gente conhece, mas aí a mãe ligou para confirmar e o moleque não estava com ela não, era esse outro, ela mentiu”, contou Nery.

Suspeito de matar e esquartejar adolescente é detido em Araraquara — Foto: ACidadeON/Araraquara
Suspeito de matar e esquartejar adolescente é detido em Araraquara — Foto: ACidadeON/Araraquara

Yasmin e o suspeito haviam se conhecido em um show ao lado do Teatro Municipal, no sábado, segundo o pai.

“Esse show foi fatal, conheceu no sábado, morreu no domingo. Marcou encontro para o domingo para ir ao Sesc, mas com certeza ele fez a cabeça dela para vir para cá [na casa dele].”

O pai disse que chegou a falar com o suposto assassino da filha na noite de domingo e o rapaz disse que tinha estado com Yasmin. “Ele estava diferente, desconversando”, contou.

A conversa foi gravada pelo celular e a gravação foi entregue à polícia.
Curta e Compartilhe: