Paróquia usa fantoches para dinamizar as missas e catequizar crianças e adultos, personagem tem até página nas redes sociais

Wagão

Atrapalhado e falante o boneco chama a atenção durante as celebrações na paróquia  Santo Antônio em Jaú. Luizinho como é conhecido brinca com as acrianças e interrompe sem cerimônias o padre Armando Valencise.

Por trás de perguntas que parecem ser descabidas o personagem ajuda na catequese não apenas de crianças mas também de adultos que frequentam as missas. O padre Armando Valencise, pároco da igreja Santo Antônio se diverte com as travessuras do boneco que tem até uma página nas redes sociais.

Quem dá vida ao fantoche é o jornalista Luiz Andretto,  28 anos que frequenta a paróquia a pouco mais de uma ano . ” Então. Não sei explicar isso. Vem da imaginação. Deus me abençoou com esse dom de pensar rápido” conta.

Luizinho chama a atenção não apenas das crianças mas também dos adultos que interagem com o personagem através das redes sociais.

Bonecos são utilizados para dinamizar missas evangelizar-Foto Arquivo pessoal

Recentemente Luiz criou um perfil na rede social Facebook, o objetivo é interagir com as crianças que queriam saber como era a rotina do Luizinho “fora da casinha”, literalmente. na página é possível acompanhar o dia a dia do boneco,  que não é muito diferente do que acontece na missa, ele apronta todas na sua casa e fora dela.

Luiz Andretto conta que as brincadeiras protagonizadas por “Luizinho” não apenas faz com que os fieis caiam na risada mas tem o objetivo principal que é catequizar.

“O principal é dar voz as pessoas que tem dúvida na missa. O Luizinho pergunta o padre responde.” diz.

Padre Armando Valencise ao lado do boneco Luizinho-Foto Arquivo pessoal
Curta e Compartilhe: