Tatiane Cristina Maia, MDB, teria se utilizado da estrutura da Câmara Municipal para benefício próprio além de desacatar policiais civis

Reprodução Jornal da Cidade

A Mesa Diretora da Câmara de Vereadores de Itapuí (44 Km de Bocaina), decidiu por 6 votos a 2 cassar o mandato da vereadora Tatiane Cristina Maia MDB. O Caso foi investigado pelo  Conselho de Ética da Câmara Municipal de Itapuí e a vereadora foi definitivamente do cargo.

De acordo com a denúncia, a vereadora teria se aproveitado da estrutura administrativa da Câmara Municipal de Itapuí para proveito próprio.

A vereadora, teria segundo informações que constam no Projeto de Resolução, utilizado ainda de (equipamentos, instrumentos, recursos e servidor público) em benefício próprio. Ainda de acordo com a denúncia a vereadora teria se aproveitado de sua autoridade para desacatar policiais dentro  da Delegacia de Polícia Civil da cidade.

Luiz Carlos Pierazo (PTB), membro do Conselho de Ética, explica que Tatiane pediu para a secretária da Câmara fazer requerimento endereçado à delegacia solicitando boletins de ocorrência no nome dela. “Ela usou ofício e papel timbrado da Câmara para pedir coisa pessoal”, conta. “Não se pode chegar, pedir ofício e encaminhar solicitando coisa particular”.

A parlamentar conseguiu liminar em mandado de segurança barrando a votação do relatório que pedia sua cassação, mas a decisão foi revogada e, com seis votos a favor e dois contrários, ela perdeu o mandato. Os favoráveis foram Vandir Donizete Viaro (PTB), Pierazo, Professora Ana Lucia (PSC), Cidinho Avanti (PTB), Rita Xavier (MDB) e Bertinho (PSC). Os contrários foram Gabriel Sotto e Gilson Mai-Mai, ambos do PSDB.

Além da Justiça Eleitoral, o partido da vereadora também deverá ser informado sobre a cassação. A reportagem telefonou para o número do celular de Tatiane informado pela Câmara e deixou recado na caixa postal, mas não houve retorno até fechamento desta edição. No Facebook, ela postou mensagem dizendo que havia perdido apenas uma batalha, mas não a guerra. “Vamos continuar trabalhando, logo estarei de volta firme e forte”, afirmou.

‘REINCIDENTE’

No projeto de resolução editado em razão da cassação do mandato de Tatiane, a Mesa Diretora da Câmara de Itapuí apontou sua “reincidência no abuso de suas prerrogativas como vereadora, como já apurado em procedimento ético anterior”.

Conforme divulgado pelo JC, em 5 de junho de 2017, o Legislativo acatou o parecer do Conselho de Ética e suspendeu temporariamente os mandatos de Tatiane e Rita Xavier por falta de decoro em razão de trocas de ofensas pelas redes sociais.

Divergências entre as parlamentares relacionadas à disputa pela presidência da Casa teriam motivado os ataques pessoais. Como a Casa entraria em recesso, por decisão da Mesa, aplicação da medida disciplinar teve início no dia 1 de agosto.