Tratamento utiliza técnicas avançadas e prevê conservação  e até reconstrução da mama

Silencioso, o câncer de mama, é a maior causa de morte de mulheres com idades entre  30 e 69 anos. Estima-se que em 2018 cerca de 59.700 casos da doença sejam diagnosticados no Brasil, os dados são do INCA- Instituto Nacional do Câncer.

A dona de casa Beatriz Aguiar, 38 anos, moradora do bairro São Judas em Bocaina,  descobriu a doença durante um autoexame em março de 2017 e precisou passar pelo procedimento de retirada da mama direita, conhecido como (mastectomia). Joice é casada e mãe de duas adolescentes de 13 e 20 anos.

É uma situação muito difícil mesmo, principalmente no começo (o diagnóstico), contar pra família, qual vai ser a reação deles? E nesta fase delicada, o que mais me da forças é que eu acredito muito na presença de Deus na minha vida e também no apoio da minha família” diz.

Beatriz diz que o papel da família e dos amigos foi muito importante para manter a alegria. “O importante é nunca desanimar, perder a alegria de viver ou se entregar a doença, manter o auto-astral e a autoestima”, continua.

Ana Paula faz tratamento no Hospital amaral Carvalho em Jaú (Foto: Arquivo pessoal)

Ana Paula dos Santos Ferreira, 37 anos, funcionária pública, casa e mãe de três filhos é moradora do bairro Nova Bocaina II. Ana Paula disse que descobriu um nódulo durante um autoexame no início de 2018.

Ana Paula contou que não tinha o hábito de fazer o autoexame e ficou curiosa ao ver uma propaganda na televisão. “Não fazia o auto exame eu fui fazer depois de ver uma propaganda na televisão mostrando como se faz, aí eu curiosa, fui fazer para ver como era e levei um susto,” diz.

Após realizar uma biopsia em maio, Ana Paula foi diagnosticada com Carcinoma Ductal Invasivo, um tipo de câncer comum em mulheres. “Não entendi direito esse nome, mas o médico oncologista me avisou, dona Ana você está com câncer de mama! Não acreditei, mesmo porque, na minha pouca informação eu não poderia ter câncer porque não tinha casos na família”, afirma.

Ana Paula está passando por sessões de quimioterapia e deve passar por cirurgia em fevereiro de 2019 para retirada da mama esquerda.

Hospital Amaral Carvalho realiza cerca de 600 cirurgias de mama por ano (Foto: Reportagem)

Tanto Ana Paula, como Beatriz Aguiar faze tratamento no Hospital Amaral Carvalho em Jaú (15 quilômetros de Bocaina).  O Hospital é referência no tratamento Oncológico e  segundo o Departamento de Mastologia realiza anualmente aproximadamente 6 mil consultas e entre 500 e 600 cirurgias de câncer de mama.

De acordo com o médico João Ricardo Auler Paloschi, 48 anos, Mastologista do Centro de Mastologia Jaú e Hospital Amaral Carvalho, há 20 anos, o diagnóstico de um câncer inicial de mama pode ser a solução do problema.

“A gravidade de uma doença não é dada pelo nome que ela tem! A gravidade de uma doença é dada pelo grau de avanço da mesma. Pode-se morrer de uma gripe e curar-se de um câncer de mama. Todos sabemos disso”, afirma.

Ainda de acordo com o mastologista, os tratamentos estão cada vez mais eficientes, mais personalizados. Conseguindo separar os casos em relação ao comportamento biológico de cada um e oferecer um tratamento específico.

As cirurgias estão menos agressivas, sendo as cirurgias conservadoras das mamas , as preferenciais. e levam em conta  técnicas de cirurgia estética, simetrização da outra mama para deixá-las parecidas em tamanho e forma, assim como reconstrução das mamas, quando possível.

De acordo com informações divulgadas pelo Instituto Nacional do Câncer (INCA), o câncer de mama é o tipo de câncer mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, depois do de pele, melanoma, respondendo por cerca de 28% dos casos novos a cada ano.

O câncer de mama também acomete homens, porém é raro, representando apenas 1% do total de casos da doença. Segundo dados do SIM (Sistema de Informação Sobre Mortalidade), foram 14.388 em 2013, sendo 181 homens e 14.206 mulheres.

Relativamente raro antes dos 35 anos, acima desta idade sua incidência cresce progressivamente, especialmente após os 50 anos. Estatísticas indicam aumento da sua incidência tanto nos países desenvolvidos quanto nos em desenvolvimento.

Dr. João Ricardo Mastologista do Centro de Mastologia Jaú e Hospital Amaral Carvalho. (Foto: Arquivo pessoal)

Ações em Bocaina buscam conscientizar mulheres sobre a importância da prevenção

Em Bocaina várias ações estão sendo realizadas para conscientizar as mulheres sobre a importância da prevenção contra o câncer de mama. Caminhadas, pedágios e entrega de material informativo estão entre as ações programadas para acontecer até o final do mês.

As ações envolvem a participação de Grupo de voluntários de Combate ao Câncer, instituições públicas e privadas como academias de ginástica.

 

Curta e Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *