Evento em comemoração aos 21 anos do grupo em Bocaina reuniu vários elementos da Cultura de Hip-Hop

Bora Lá

O grupo bocainense de Hip Hop Bocaina Braeker’s” completa 21 anos de história. O grupo é considerado hoje um dos mais importantes projetos de inclusão social da cidade, o trabalho desenvolvido dentro do projeto vai muito além da arte de dançar.

Com sua característica suburbana o Hip-Hop produz eco na periferia de grandes centros populacionais, onde os conflitos e desníveis sociais são mais evidentes. É um movimento com várias tendências internas, mas que pauta-se pela denúncia da exclusão social e pela discussão de questões relativas à história e à identidade do grupo.

As experiências contadas por alguns membros do grupo ajudam a entender o porque ele é chamado de Família Bocaina Breaker’s. Os membros do grupo que existe desde a década de 90, participam de aulas gratuitas de dança, palestras além de encontros em outra cidades.

Sem um local fixo para realizarem os ensaios, o grupo  se reunia em um coreto na praça de Santa Luzia, começava  a escrever ali a sua história. O grupo ensaiou no local por vários meses até que o padre da cidade viu um dos ensaios e ofereceu o salão paroquial para o grupo.

Rodrigo Vechi um dos fundadores do grupo conta como foi o primeiro contato com a dança de rua. “Na verdade a gente começou dançando em baladas, nas discotecas, quem apresentou o estilo pra gente foi o Luizão. A gente não tinha um local pra ensaiar, então a gente começou a ensaiar no coreto”, diz Rodrigo.

Luizão disse que conheceu o grupo quando ainda eram adolescentes, os meninos gostavam de dançar, eles tinham entre 13 e 16 anos, passei os primeiros passos pra ele no fundo de casa. “Me lembro quando eles participaram do primeiro festival de Breaker’s, eles me deram o troféu de presente, ele está lá m casa”, diz.

Emerson Ferreira, 22 anos, integrante do grupo há 9 anos conta um pouco sobre sua trajetória na Família Bocaina Breaker’s. O Bboy Mendigo como é conhecido pelo pelos integrantes do grupo conta que começou a frequentar o grupo “atrás de brincadeira” junto com os primos. Emerson diz que tentava aprender alguns passos mas nada muito sério.

“Aí uma vez teve um evento bem pequeno que o Vechi organizou eu participei e ganhei um certificado, pra mim aquilo foi uma conquista. Já sentia um carinho pela dança foi então que resolvi treinar sério. Comecei a frequentar os treinos e nunca mais parei”, diz Emerson.

Emerson Ferreira e Rodrigo Vechi durante evento em comemoração ao aniversário do grupo (Foto Antônio Carlos)

O “apelido de Mendigo”

Emerson conta a história por trás do apelido de Mendigo que acabou ganhando dos parceiros do grupo.” A história é a seguinte. É porquê eu tinha apenas um par tênis para passear e ir na escola, não tinha tênis para treinar, então eu ia de chinelo e treinava descalço”, continuou.

Emerson participou como jurado no evento que comemorou os 21 anos de fundação do grupo. O encontro reuniu nomes do movimento Hip-Hop  em bocaina durante a tarde do sábado (11). Está foi a primeira participação dele como jurado em eventos do gênero.

Para marcar os 21 anos de criação do grupo uma Batalha de Breakers reuniu nomes do movimento Hip-Hop durante o sábado (11) em Bocaina.  O evento foi realizado na Escola Estadual Capitão Henrique Montenegro.

Bboy Mendigo participou como jurado da Batalha de Breakers (Foto: Antônio Carlos)
Curta e Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *