Diretório Municipal do Partido publicou uma carta comentando a situação política do município onde diz que “ninguém está acima da Lei”

Fera

O PSDB de Bocaina publicou na manhã deste domingo (04), uma carta onde comenta a situação política da cidade de Bocaina. Na carta, o diretório diz que a cidade anda na contramão e que esse quadro não combina mais com o Brasil.

Na carta, o Partido menciona a situação envolvendo o pagamento do vale alimentação dos funcionários da prefeitura e a situação dos cargos comissionados que aguardam adequação. Na carta o Partido fala ainda do que chamou de “falta de atitude” por parte do Poder Legislativo e diz que está preocupado com os rumos que  a atual administração vem tomando.

“Não seremos mais coniventes com tantos desmandos e falta de transparência e compromisso para com a população. Estaremos mais atuantes e se preciso for iremos onde for necessário para que a Lei seja cumprida” diz o documento.

O presidente do partido, Bene da Farmácia, afirmou nesta segunda-feira (05) que o modelo de gestão do atual prefeito não combina mais com o momento em que o país está vivendo.  O comentário foi feito após o presidente ser perguntado sobre a publicação da carta.

O vereador Roberto Donizete Anésio, presidente da câmara disse na manhã deste domingo, que a câmara de vereadores vem adotando todas as medidas cabíveis em relação aos casos citados. No caso da adequação dos cargos comissionados, o vereador disse que o caso já foi encaminhado ao Ministério Público.

A assessoria de imprensa da prefeitura informou que irá se posicionar após e inteirar sobre o conteúdo da carta.

Uma reunião realizada na noite desta segunda-feira (05), na câmara de vereadores, antes do início da sessão, contou com a presença do presidente do sindicato dos servidores públicos municipais. Os vereadores contavam ainda com a participação do prefeito Marco Antônio Giro, para discutir o projeto de lei que pede a alteração de redação da Lei n° 1.936, de 18 de janeiro de 2.005, que dispõe sobre a concessão do benefício da cesta básica aos servidores municipais, em atividade.

O prefeito alegou compromissos de agenda e justificou a ausência dizendo que já havia explicações suficientes no projeto enviado ao Legislativo.

Os vereadores propuseram emendas alterando cinco artigos do projeto de lei que foi lido e votado durante a sessão. Com as mudanças, o projeto que passaria a valer a partir de janeiro de 2019 passa a valer ainda em 2018. O Projeto poderá ainda ser vetado ou sancionado pelo chefe do executivo.

 

Curta e Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *