Coleta de assinaturas é feita através da internet em um “Abaixo Assinado Virtual”

Drogaria São Francisco

Um morador de Bocaina decidiu fazer uma coleta de assinaturas para tentar impedir que a prefeitura de continuidade ao projeto que prevê o asfaltamento de ruas do centro antigo da cidade. O local reúne o maior acervo arquitetônico do município e é composto por ruas e casarões construídos no início do século XX.

Luiz Otávio dos Santos, 22 anos é comerciante e teve a iniciativa de fazer o Abaixo Assinado, Otavio diz que quando ficou sabendo do asfaltamento das vias ficou indignado e começou a articular junto com um amigo a coleta das assinaturas. “Eu amo a História, não posso ver isso e ficar de braços cruzados”, diz.

A decisão da prefeitura divide opiniões pelas ruas da cidade. Alguns moradores ouvidos pela reportagem durante o final de semana defendem a aplicação da massa asfáltica sobre os paralelepípedos. Entre as reclamações, riscos de quedas entre motociclistas, desníveis na via que podem causar acidentes e manutenção de veículos que acabam custando caro no bolso do morador.

Já um outro grupo de moradores é contra a decisão da prefeitura, o grupo criou um abaixo assinado virtual para coletar assinaturas e pede a conservação das vias.

Membros do Conselho Municipal de Turismo, ouvidos pela reportagem do Bocaina Informa, disseram na manhã desta segunda-feira (15) terem participado de uma reunião onde foi apresentada proposta para o asfaltamento das ruas do centro da cidade. O projeto da prefeitura prevê a colocação de 3.080 metros quadrados de massa asfáltica em ruas do centro da cidade construídas no início do século XX. A maior partes das ruas são feitas de pedras chamadas de paralelepípedos.

Ainda de acordo com informações levantadas pela reportagem o projeto de asfaltamento já estava em andamento quando o projeto foi apresentado na reunião do COMTUR.

A reportagem entrou em contato na manhã desta segunda-feira (15) com Diretoria de Turismo de Bocaina mas não obteve resultado nas ligações.

Procurado pela reportagem a Superintendência do IPHAN em São Paulo informou que o Centro Histórico de Bocaina não possui bens tombados o que inviabiliza qualquer manifestação por parte do órgão.

O Instituto orienta ainda, caso algum morador julgue necessário, poderá entrar com um pedido de tombamento.

Para propor o tombamento de um bem imóvel, deverá encaminhar ao IPHAN algumas informações mínimas, que possam subsidiar a abertura de um processo federal, que irá estudar a relevância do bem para a memória cultural nacional.

Curta e Compartilhe: