Cerca de 200 pessoas foram alojadas em hotéis ou casa de familiares, empresa informou que a barragem está inativa e plano de evacuação é uma medida preventiva

Wagão

Cerca de 110 moradores da região de Macacos, em Nova Lima, a 25 km de Belo Horizonte (MG), foram cadastradas pela empresa Vale até a manhã deste domingo (17) após desocuparem suas casas como parte das ações preventivas estabelecidas pelo Plano de Ação de Emergência de Barragens de Mineração (PAEBM) da Barragem B3/B4, da Mina Mar Azul.

De acordo com a empresa, 42 pessaos estão em hotéis e as demais em casas de parentes ou outros locais, respeitando suas escolhas. Todos os moradores saíram da Zona de Autossalvamento (ZAS) na noite deste sábado (16) após acionamento das sirenes

Na manhã deste domingo, a Polícia Militar, seguindo orientações da Defesa Civil, interditou os acessos a Macacos pela BR-040 e pela MG-030. Para chegar à região, o acesso disponível é pela estrada da Passárgada, via Vale do Sol, em Nova Lima, com bloqueio apenas para o bairro Capela Velha.

Segundo a Vale a evacuação e o bloqueio dos acessos à área da Zona de Autossalvamento permanecerão até liberação pela Defesa Civil e demais órgãos competentes. As pessoas que não foram procuradas pelos órgãos competentes podem permanecer em suas casas.

Área em vermelho foi evacuada pela empresa-Imagem Google maps

Está é terceira desocupação na região após o rompimento da barragem de Brumadinho no dia 25 de janeiro.

Na madrugada de sexta-feira (8), cerca de 500 moradores de outro município mineiro, Barão de Cocais e do distrito de Pinheiros, em Itatiaiuçu, precisaram deixar suas casas após risco de rompimento de uma barragem da produtora de aço ArcelorMittal.

A ação também foi  feita segundo a empresa como medida de precaução.

Sobre a barragem

A Vale intensificou as inspeções na Barragem B3/B4, que estão sendo realizadas em regime especial, com a presença de profissionais especializados 24 horas por dia. A empresa reforça que não houve alteração nos dados técnicos da barragem ao longo dos últimos meses e que as últimas inspeções não detectaram anomalias relevantes. Novas vistorias estão sendo realizadas com participação da Agência Nacional de Mineração (ANM) e a barragem está passando por auditoria externa já prevista anteriormente.

Em decorrência da elaboração do projeto de descaracterização da barragem, foi identificado pela empresa responsável que o modelo geológico-geotécnico poderia ser diferente do atualmente considerado. Até que as divergências entre os modelos sejam sanadas, a Vale optou por acionar o PAEBM e manter preventivamente a evacuação da área.

A Barragem B3/B4 tem processo construtivo a montante e faz parte do plano de aceleração de descaracterização anunciado pela Vale.

Curta e Compartilhe: